Shift

Tipo de veículo de ligação planetária terrano. Veículo blindado multifuncional. O nome "shift" foi cunhado por Reginald Bell no ano de 1975.

Especificações e aplicações


Trata-se de uma categoria de pequeno veículo blindado multifuncional usado na antiga Frota Solar, projetado para servir como nave auxiliar em naves de todas as classes. Seu armamento consiste de um, dois ou três canhões de impulso, dependendo do modelo. Sua blindagem possui dispositivos climatizadores e renovadores de ar, neutralizadores de pressão e ferramentas especiais para tropas aéreas e de solo. Também possui um pequeno depósito de suprimentos. Presta-se ao transporte em quatro ambientes diferentes: está apto a operar numa atmosfera planetária no ar e em terra ou até mesmo embaixo d’água, e no vácuo do espaço. O modelo maior possui aproximadamente dez metros de comprimento por quatro de largura. A sua tripulação é composta por até quatorze pessoas. O modelo menor, seu formato é basicamente oval, com 6 m de comprimento por 3 de largura. Pode abrigar confortavelmente seis pessoas. Possui uma estrutura hermeticamente fechada montada sobre o corpo principal, que também tem 3 m de altura e duas comportas de passageiros. A cabine é pressurizada e permite uma visão ampla para todos os lados. Em terra, desloca-se sobre esteiras com 1 m de largura, desenvolvendo alta velocidade.

Shifts do Império Solar


No século XX

A versão original do shift, que foi usada a partir do ano de 1975, não podia voar. O veículo ainda era chamado de carro de esteira. Ele serviu uma expedição para o planeta Gol e era fortemente blindado devido às condições especiais de gravidade. Por iniciativa de Perry Rhodan, foi equipado com desintegradores, radiadores de nêutrons e radiadores de impulsos térmicos. A próxima versão, que foi usada no planeta Vagabundo, já tinha campos antigravitacionais. Os shifts tinham campos defensivos simples, que proporcionavam proteção suficiente contra armas convencionais de menor calibre. Eles tinham tetos cupulares articulados, dispositivos de localização de micro-ondas, bem como hofotes ultravioleta para orientação no escuro. O piloto controlava o shift por meio de um controle em forma de haltere, cujas entradas eram passadas para as partes da transmissão por meio de um transmissor de impulsos positrônicos. Os órgãos de compensação automática asseguraram um voo estável mesmo sob condições adversas. Todos os geradores e armas eram movidos por um único gerador. Os projetores antigravitacionais estavam na popa do veículo. A partir do ano de 1984, foi utilizada uma versão avançada do shift, que foi fabricada nas instalações de produção do planeta Árcon II. Essa versão tinha um púlpito feito de glassite, rastreador de contorno, novos dispositivos de localização, bem como um armamento padrão com direcionamento automático. Mesmo sob uma gravidade de 2,98 gravos, o shift era totalmente utilizável. Essa versão de shift era equipada com uma área de carga na popa. A área de ação do campo antigravitacional podia ser estendida na popa para manobrar objetos pesados na área de carga.

No século XXI

O modelo usado no ano 2043 tinha uma escotilha de inspeção, que se alcançava por uma câmara de eclusa. A câmara de eclusa podia acomodar de duas a três pessoas. O piloto e o copiloto sentavam-se em bancos individuais na frente, enquanto os outros passageiros sentavam-se em bancos atrás. Em voo, o shift atingia uma velocidade máxima de 500 km/h e uma altitude de até 15 km. Mesmo sob condições difíceis, a energia dos shifts era suficiente para mais de 10 horas de voo. Sob a água, profundidades de até 2.000 metros podiam ser alcançadas.

No século XXII

Por volta do ano 2104, versões com melhorias adicionais estavam em uso. O armamento então consistia em vários canhões de impulsos, cuja fonte de alimentação tornara necessária a instalação de geradores mais fortes.

No século XXIV

Por volta do ano 2329, um shift tinha cerca de 10 metros de comprimento. Esses shifts foram planejadas para uso planetário e, como os modelos predecessores, não eram capazes de voar espacialmente. Para missões mais longas, a tripulação tinha equipamentos, armas e ferramentas de todos os tipos, bem como um suprimento de alimentos por várias semanas disponíveis. Para alimentos frescos havia um freezer. A escotilha lateral havia recebido uma escada estreita que facilitava a entrada e a saída. Um intercomunicador, um campo defensivo, um canhão montado na proa e um periscópio extensível a 10 metros completavam o equipamento. O acionamento por corrente permitia uma velocidade de 30 milhas por hora em terreno nivelado. Esse shift foi usado em operações terrestres junto com mísseis e armas antiaéreos em plataformas antigravitacionais como um deslocamento de transporte para unidades de solo. A estabilização possibilitou a segurança do shift com o campo antigravitacional ativado e a velocidade do vento de 200 km/h em uma posição. Por volta do ano 2400, um shift pesava cerca de 18 toneladas. A escotilha interna da eclusa tinha uma roda sobressalente e a cabine estava forrada com plástico macio por dentro. O shift estava equipado com um canhão desintegrador e conduzia-se sobre lagartas com um metro de largura.

No século XXXVI

No ano 3587, os shifts passaram a ser equipados de fábrica com um pequeno robô médico que pode fornecer os primeiros socorros.

Dados técnicos (shift tipo I)
Dados Valores
Tipo: Shift (blindado voador)
Tamanho: Comprimento do casco 10 m, largura 4 m
Massa: 18 t
Propulsão subluz: Propulsão por esteiras; atmosfera: propulsor de impulsos; sistema de propulsão de nível superior: antigravitacional
Sistema de armamento ofensivo: Canhão desintegrador, radiador de impulsos térmicos, radiador neutrônico (dependendo da variante)
Sistema de armamento defensivo: Campo defensivo energético e campo SAE
Fornecimento de energia: Gerador principal, posteriormente fonte de energia adicional para o armamento
Características especiais: Até seis passageiros
Tripulação: Dois (piloto e copiloto)

Shifts da LTL


Shift padrão da LTL

  • Observação: Esses dados contêm informações adicionais que não estão nos episódios.
Dados técnicos (ano 1284 NCG)
Dados Valores
Tipo: Shift (blindado voador)
Tamanho: Comprimento 12 m, largura 6,5 ​​m, altura total 2,8 m
Massa: Peso de decolagem 38,5 t
Computador de bordo: 1 Dynasyn 444/ERL-Sintron com backup de desastres
Armamento ofensivo:  1 canhão múltiplo com 1 canhão conversor (irradiação máxima de 5 mt), 2 canhões MVAE faseados (modos de impulso/desintegrador/intervalar/paralisante) de 780 MW cada
Armamento defensivo: Campo SAE/paratron escalonado triplo, defletores, gerador de imagens virtuais reduzido, sistemas de interferência
Tripulação: 2 (piloto e navegador), 14 soldados com equipamento
Fabricante: Weyland-Yutani, Divisão de Transportes / Terra, março do ano 1285 NCG

Shifts da LGL


Os tipos de shifts da LTL foram adotados. O Atrast é uma das conversões mais conhecidas de tais veículos.

Shifts conhecidos


  • Atrast, CT-1, CT-2, Parsis, S-3, S-4, S-5 (Crest II), S-5 (Ironduke), S-8, S-12, S-18, S-39, Tallata.

História


No século XVI NCG

Em 26 de agosto do ano 1552 NCG, 120 shifts da classe Lupus do fundus da nave Ras Tschubai foram usados para ocupar a cidade de Ambur-Karbush no planeta Peregrino.


 
 
Créditos: 
  • Capas da edição alemã: Copyright © VPM – Pabel Moewig Verlag KG, Alemanha.

Fontes


  • PR16, PR17, PR19, PR20, PR43, PR44, PR79, PR93, PR118, PR120, PR190, PR191, PR198, PR200, PR207, PR210, PR426, PR824, PR875, PR879, PR920, PR952, PR984, PR2999.
  • PR-Olimpo nº 1.
  • Atlan nº 300.
  • Centauri nº 2.
  • Desenho técnico (edição impressa): PR668/PR669.
  • Glossário: PR3003.
  • Seção Glossário da edição digital da SSPG: volumes especificados no campo Glossários Veiculados.
  • Internet: Informações extraídas em parte do site Perrypedia (www.perrypedia.proc.org). This article uses material from the Perrypedia article “Shift”, which is released under the GNU Free Documentation License 1.2. Informações extraídas em parte do site Perry Rhodan und Atlan Materiequelle (www.pr-materiequelle.de).
Seção do Site: