Tecnologia

Espaçonaves, veículos, armamentos, sistemas de computação, robôs e substâncias artificiais da narrativa.

Barril de Diógenes

Dispositivo tecnológico keloskiano. Era uma construção gigantesca com formato de barril. Não se sabe quem da nave Cinderela havia sugerido essa expressão. O fato é que ela havia se generalizado a bordo da corveta. Brilhando e cintilando em diferentes cores, ele se erguia a uma altura de cerca de 500 metros num grande vale do planeta Altrak. Parecia realmente um barril de dimensões gigantescas. A construção estava deitada de lado. Próximo a ela, entretanto, não se percebia nenhuma cor específica. O aço não tinha cor, mas também não era transparente como vidro.

Barril

Estação espacial. Assim era denominada um tanto depreciativamente por Nos Gaimor o que os não iniciados chamavam de estação espacial. A estrutura possuía setecentos metros de diâmetro e três quilômetros e meio de comprimento. Ela não havia sido criada por mãos humanas. Gaimor a encontrara no centro da Galáxia, flutuando à deriva no espaço, e a levara para o sistema Ardin, de onde ele passou a dominar os habitantes do planeta Yoopsin.

Barreira de espaço-tempo

Tecnologia. Sob a barreira de espaço-tempo refere-se a um tipo especial de campo defensivo, o qual contém elementos hexadimensionais, e, assim, pode ser superada apenas pela mais alta tecnologia. Há apenas uma única barreira de espaço-tempo conhecida:

Barreira da loucura

Sistema de armamento defensivo. Trata-se de um campo de radiação peculiar. Essa radiação é emitida por um transmissor solar. Esse tipo de radiação tem um efeito especialmente nocivo sobre a estrutura da consciência dos maahks. Mas também os humanos eram suscetíveis, ainda que num grau incomparavelmente menor. Em maio do ano 3460, Atlan topou com essa barreira ao descobrir o transmissor de Gercksvira. Uma parte da radiação de todos os cinco sóis azuis era modulada artificialmente e agia no organismo dos maahks, tornando-os loucos e imprevisíveis.

Barra de assento

Tipo de assento especial existente a bordo das naves dos pesquisadores da Imperatriz de Therm. Ele se sobressai dentre os equipamentos de controle. Era constituído de modo que o pesquisador colocasse seu corpo sobre ele e deixasse ambas as pernas penderem lateralmente.


 

Barka

Espaçonave terrana, uma pequena nave do tipo gazela, especialmente adaptada. Era um disco de 30 m de diâmetro. Sua tripulação era de quatro homens, apesar de estar em plenas condições de ser dirigida por um. O comandante era o agente especial da USO Harm Davis.

História


Em agosto do ano 3441, pousou no planeta Éden V, depois de concluir uma missão especial que a tinha levado ao limite norte da Via Láctea. Pouco depois chegou no planeta Tahun.


 

Barder-Nel

Espaçonave extraterrestre, uma unidade dos orbitantes. Ela era a nave capitânia da frota Nel.

Dados Gerais


Tratava-se de uma nave-cunha do tipo executora. Era comandada por Quiryleinen.

Barcelona (espaçonave)

Espaçonave terrana do tipo cruzador da Frota Solar, classe Cidade. O comandante era o major Don Redhorse. No ano 2405, ela foi feita nave capitânia de uma esquadrilha com 30 outros cruzadores de busca. A missão era encontrar a velha estação cósmica de desvio dos maahks. A estação de fato foi encontrada, porém a nave foi destruída. Só se salvaram alguns tripulantes num space-jet com o qual alcançaram a estação.


 

Barbarossa

Espaçonave terrana do tipo supercouraçado da Frota Solar, classe Império. O comandante era o general Conrad Deringhouse. No início de outubro do ano 2042, foi usada na operação de busca aos três desertores; no ano 2044, participou da ação no planeta Opghan com Perry Rhodan a bordo; em maio do ano 2044, participou da ação contra os druufs; em abril do ano 2103, participou do bloqueio do planeta Lepso; em outubro desse ano, fez parte da frota que atacou o planeta Trakarat para libertar Perry Rhodan dos antis.


 

Baradas

Espaçonave extraterrestre, uma unidade esférica lemurense de pequeno porte.


 

Páginas